Moro elogia e defende governador tucano suspeito de corrupção

Moro como sempre não esconde seu partidarismo e sua balança que pende a favor de políticos do PSDB e contra o presidente Lula. Além das duas do grupo de Doria, Moro também falou em evento do governo do Mato Grosso, comandado pelo tucano Pedro Taques.


O juiz foi a Cuiabá para falar, em 5 de dezembro passado, no lançamento do portal da transparência do governo local. Três dias antes, reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” revelara que um empresário investigado por suspeita de corrupção na Secretaria Estadual da Educação teria pago R$ 10 milhões à campanha de Taques.

O governador à época informou que “tomou as medidas que lhe competiam”, refutou “qualquer tentativa de envolvê-lo em qualquer ato ilegal” e afirmou que sua prestação de contas da campanha de 2014 foi aprovada sem ressalvas.

A reportagem procurou alguns contratantes. O grupo Lide negou ter pago cachê. Disse, contudo, que arcou com despesas da “passagem aérea em voo de carreira (no caso de São Paulo)”.

Questionado a respeito, Moro disse que a palestra para o Lide em São Paulo, em setembro de 2015, ocorreu “muito longe das eleições de 2016, quando nem sequer João Doria havia sido definido como candidato”. “Em Curitiba, não se fez presente o posterior candidato a prefeito”, respondeu o juiz.


“Quanto ao evento de Mato Grosso, como consta na própria indagação tratava-se de um evento do governo e não de partido, o lançamento do portal de transparência, iniciativa que apoio, por incrementar o controle dos governantes pelos governados”, argumentou.

Em vídeo disponível na internet, ao início da palestra Moro elogia Taques. “Acompanhamos o trabalho do governador, quando era senador, e a comunidade jurídica o tinha como alguém de uma ilibada reputação, extremamente confiável e importante para aprimoramento da legislação, inclusive no que se refere à Justiça Criminal. Seu trabalho faz falta no Legislativo.”

Com informações de UOL.